União


Eu realmente não sei explicar exatamente o que acontece com nós quando chegamos nessa época de final de ano. Sinceramente não sei se as luzes de Natal que dão o start inicial, se é por causa da virada do ano ou se é porque você passou 11 meses fazendo de tudo pra se manter na vida e esqueceu de tudo e de todos – não por maldade, mas por necessidade. Mas, de uma coisa eu sei, todo final de ano, quando tudo começa a parar, é que você também para e começa a ver tudo ao seu redor… pensa no irmão, pensa na família, nos pais, em tudo… e vê o quanto você perdeu de aproveitá-los durante o ano todo.

Eu sinceramente não iria conseguir aproveitar muito, mesmo pensando sempre, é uma questão realmente de comprometimento com o meu trabalho ou não… mas é complicado, sempre. Esse ano talvez eu consiga muito mais do que no ano passado, que tive um tempo curto pra aproveitar o Natal (2 dias eu acho) e nenhum para aproveitar o ano novo (digo aproveitar com a minha família, porque no caso eu aproveitei – mesmo trabalhando).

Estou a praticamente 11 dias das minhas férias, tenho mais algumas coisas pra cumprir e outras que vagam pela minha cabeça esperando definições minhas mesmo… e foi agora, nesse exato momento, que parei pra pensar em como ta a minha vida, a minha família e tudo mais.

Nesse ano duas primas minhas se casaram (as duas únicas mulheres da família, uma por parte de pai e outra por parte de mãe)… e eu não consegui ir em nenhum dos dois casamentos, sendo que em um era pra eu ser padrinho. Nesse mesmo ano eu acho que consegui ver meu irmão e a minha cunhada umas 3 ou 4 vezes só, não sei ao certo, mas mais do que cinco eu sei que não. A família reunida? pouquíssimas vezes. Teve aniversário da minha avó, avô e tudo mais… e em quantos eu consegui ir? Talvez um ou dois. De todo o resto? perdi. Chega final de ano e você vai querer contabilizar tudo isso, e vê que realmente tudo passou e você não viveu. Viver eu vivi, claro, mas em outro lugar, fazendo outra coisa e lutando por minha sobrevivência e só. As vezes é muito difícil colocar essas coisas na balança, mesmo sabendo que elas não são nada proporcionais.

Mas, no final de ano é sempre inevitável você parar pra pensar nessas coisas…. e eu acho que isso acontece (pelo menos comigo) pelo fato de que dessa vez eu vou conseguir passar o Natal e muito provavelmente o ano novo junto com eles… e não vai ser algo rápido, vou poder ficar uns dias, curtir, não me preocupar com nada… e acho que isso vai ser muito bom, tanto pra mim quanto pra eles e pra todo mundo envolvido. As vezes me sinto deslocado, mas sei que a culpa é sempre minha. Eu provoco, eu cavo, eu busco isso… mas no fundo, eu to lá com todos eles.
Além de tudo isso, vou poder passar o aniversário da minha mãe com ela, e mesmo não tendo festa nem nada, que seja pra ir em algum lugar e almoçar bem ou jantar, já é o suficiente. A vida passa muito rápido e a gente perde muita coisa importante e que valeria muito mais do que alguns reais acumulados. As malditas contas que nunca erram o seu endereço te fazem virar a cabeça pra um mundo completamente fútil e te faz esquecer que o que vale, no final das contas, é o abraço e o beijo e a sintonia boa que você sente quando estão todos reunidos.
Talvez eu dê valor a isso porque a minha família sempre foi muito unida, e com o passar do tempo, cada um foi indo buscar o seu espaço em algum lugar mais distante… só que pra ser mais direto, apenas eu e o meu irmão é que fomos pra mais longe, o resto sempre permaneceu perto. E pra ser mais direto ainda, eu fui o primeiro a ir embora, tenho consciência disso… mas fui pro meu bem e em busca de um sonho meu que hoje eu vivo. Eu sei que no fundo eles sentem algum orgulho disso. Eu pelo menos sinto.

Hoje em dia meu irmão e minha cunhada estão voltando pra perto… e eu, geograficamente estou perto, mas estatísticamente estou longe. É um vai e vem frenético, é um trabalho onde só não frequentei dois estados do Brasil… o Tocantins e o Acre. Mas eu gosto, eu vivo isso e respiro isso… se me tirarem dali, capaz de eu ir buscar de novo em outro lugar.

As luzes de Natal realmente me fazem pensar e lembrar de muita coisa. Não sou católico, não cultuo tudo isso como todos os católicos pregam, mas encaro essa época como uma união que deveria acontecer em todos os outros 11 meses do ano… e pra sempre.

Na minha árvore as luzes não piscam, nem sequer possui luzes… mas em cada uma daquelas bolas eu posso colocar um nome. Todos unidos em uma só árvore, em um só objetivo… e daqui 11 dias eu encontro todos vocês… até lá!

Anúncios

3 comentários sobre “União

  1. Cara, adoro suas fotos. Mas, como apaixonada pelas palavras que sou, adoro ainda mais os seus textos! Vc deve ter percebido!

    “As vezes é muito difícil colocar essas coisas na balança, mesmo sabendo que elas não são nada proporcionais.” O post inteiro poderia ser essa frase, falou tudo!

    Enfim… Que bom que vc vai passar o aniversário da sua mãe ao lado dela (:

    E vc ainda não foi pro Acre porque ele não existe.

    Beijobomnatal :*

    Curtir

  2. todo final de ano você escreve sobre o mesmo assunto, o que é normal, todo final de ano a gente se pergunta, será que nós poderíamos ter feito mais? depois que comecei a ler seu blog comecei a me pergunta um monte de coisa… eu acho muito foda você lutar pelos seus sonhos, eu tipo quero ser fotografa, e as vezes tenho medo de seguir esse sonhos, e deixar de viver muita coisa, mas eu vejo em você que apesar do lado ruim, voce é feli seguindo esse sonho, bem mas eu ainda tenho meus medos, mas isso não vai deixar que eu tente! acho muito bad você não poder ver sua familia, mas pense que pelo menos eles estão vivos, e que uma hora ou outra voce vai ver eles, meus pai ja morreu, e eu queria que ele tivesse vivo pelo menos, e minha familia toda mora longe=/ enfim adoro seu jeito de falar uma coisa e depois pensar melhor e admitir que é outra coisa. concordo com a menina de cima que a frase:“As vezes é muito difícil colocar essas coisas na balança, mesmo sabendo que elas não são nada proporcionais.” que essa frase foi tipo tudo, mas adoro quando você escreve muito, acho mais interessante, ah eu falo demais eu sei-q então por isso eu vou dizer tchau, aaaaah e o post anterior tá muito engraçado me acabei de ri. tchau :**

    Curtir

  3. “Mas eu gosto, eu vivo isso e respiro isso…” isso que nos faz mover, a nossa paixão pelo que fazemos! ..
    Belas palavras cesinha, admiro cada vez mais teu trabalho.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s