Parabéns, Grunge.


Hoje venho dar parabéns para um movimento musical que pra mim foi muito importante, o Grunge, que está fazendo 20 anos de existência.

Com sua origem no final dos anos 80 em Seattle, bandas como Mudhoney, Soundgarden e Temple of the Dog deram o ponta-pé inicial ao estilo. Com suas músicas ora barulhentas ora melodiosas, com grandes influências do punk rock, hardcore, hard rock, heavy metal e o rock alternativo, as letras ilustravam bem a juventude da época, que se sentia renegada pela sociedade, falando muito sobre angústia mas sempre com muito sarcasmo.
No meio desse grande time aí não poderia faltar o Nirvana, que aliás, foi quem me chamou atenção para o estilo. Lembro que era em meados de 1991, eu com 11 anos de idade e só ouvindo Metallica o tempo todo, até que chegou um vinil em minhas mãos, o qual tinha um bebê na capa, mergulhando em busca de uma nota de dólar… e estava então prestes a ouvir o clássico Nevermind. Eu não fazia idéia do que se tratava aquilo… vale lembrar que nessa época não existia internet e toda essa facilidade de saber o que se passa lá fora… os discos eram de vinil e toda e qualquer informação você obtia por revistas especializadas como a ShowBizz, RockBrigade e afins. Os discos tinham valor de ouro pois vc não encontrava mil exemplares iguais em uma só loja… quando chegava algo, chegavam 3 ou 5 no máximo de cada… era disputa de quem tinha mais sorte mesmo (ou de quem tinha dinheiro na hora).

Mas enfim, vai ser muito complicado colocar em palavras como foi a minha primeira audição do tal Nevermind… mas garanto que foi algo único. Lembro que estava eu e um amigo meu na sala da minha casa, que era onde se encontrava o toca-discos… e ele, todo sorridente falando “coloca isso pra tocar, olha que foda”. E lá foi eu… “Smells Like Teen Spirit” … preciso dizer como isso soou pra mim ou vocês já imaginam? Talvez muito de vocês não entendam a reação porque vocês já cresceram em meio a esse mundo de internet e tudo mais, onde tudo é muito fácil de ouvir e com 2 ou 3 cliques você conhece um som que acabou de ser feito lá no Japão por exemplo. Mas ta, voltando ao meu mundo, foi uma das coisas mais prazerosas que ouvi na vida… vontade de sair pulando e quebrando tudo… repeat? isso não existia, você tinha que voltar na mão mesmo… e lá foi eu. Sim, eu não ouvi todas as músicas, eu ficava indo e voltando na mesma. CARALHO que som é esse?

E assim foi a minha iniciação no grunge. Outro prazer igual só tive quando chegou em minhas mãos outro vinil da mesma época, mas dessa vez de um tal de Pearl Jam, intitulado TEN e com todos os integrantes da banda na capa, juntos, erguendo seus braços… e a sensação foi de delírio total, fazendo assim, o tal estilo permanecer mais vivo do que nunca pra mim. Ouvir clássicos como “Alive” e “Jeremy” me empolgaram assim como os outros do Nirvana. Estava eu conhecendo o que de mais novo e rebelde havia no rock naquela época.

Acredito eu que nem se eu fizesse comparações com as coisas de hoje em dia teria como vocês entenderem do que realmente se trata isso tudo, mas cada um vive seu momento do jeito que dá… assim como meus pais tinham acesso mais difícil ainda e hoje em dia todo mundo tem acesso mais fácil, ninguém tem muita culpa de nada… as coisas evoluem e é isso daí… mas com certeza gostaria que cada um tivesse a oportunidade de viver sensações como essas que vivi.

Bom, continuando … daí pra frente surgiram uma infinidade de bandas com o mesmo estilo, propósito e tudo mais, mas é sempre aquela mesma história que nunca nenhuma outra consegue bater as primeiras… e assim acontece até hoje em dia. Outras bandas que eu escutava muito eram as meninas do L7, o grande Alice in Chains com seu mega-hit “man in the box” e por aí vai.

Não vou me estender no assunto da morte do Kurt e a decadência do estilo e tudo mais, mas só queria deixar registrado aqui a grande diferença que isso fez na minha vida, musicalmente falando. Só queria muito ter visto o Nirvana ao vivo, coisa que não vi… vi pela TV no hollywood rock, mas as outras como Pearl Jam e Mudhoney eu tive o prazer de assistir depois de quase 16 anos. Mas valeu, e muito! (Aliás, o Mudhoney está voltando pro Brasil agora.. só não sei a data ainda).

Vale ressaltar que como em todo grande estilo musical, surgem estilos corpotamentais.. e o grunge foi mais um que encheu o mundo com o xadrez, cabelos compridos e muita roupa larga e flanelada. Hoje, muita coisa que usamos é de influência dessa época… portanto, respeitem o que vocês usam, e não achem que isso foi inventado agora haha.
A música se recicla, assim como a moda. Nada é inventado.

Parabéns, Grunge… duas décadas de história para contar.

Anúncios

10 comentários sobre “Parabéns, Grunge.

  1. muito bom o post
    não consigo nem me imaginar sem essa facilidade da internet em relação as bandas
    mini cesinha pirando em nirvana, que amor auhuiahashasihasio
    parabéns ao grunge :)
    :*

    Curtir

  2. difícil te imaginar usando camisa de flanela
    hehehehe..enfim.
    Parabéns ao groung!
    Uma pena eu ter nascido no começo de tudo isso e não ter aproveitado assim.

    Curtir

  3. Bom eu nasci numa époa em que tudo estava um pouquinho inho inho mais facil,a internet já estava mais acessivel e pans,mas mesmo assim era foa pra mim,e já tive sensações parecidissimas com a suas,queria poder reviver :),mas como não é possivel vamos fazendo o possivel pra não deixarmos essas epocas morrerem. Beijos ;** (L)³³

    Curtir

  4. CARALH..!!!
    eu ameei toda essa história que li acima.
    evolui musicalmente falando.
    Realmente, tudo se recicla.
    e o preconceito continua..
    mas, fazer o que? esse é o mundo.

    Beeeijos
    Teka.

    Curtir

  5. eu tenho a mesma idade do grunge haha, e soh fui ouvir o nevermind qnd tinha 11 anos tbm, qnd ganhei o cd de uma amiga minha de aniversario e posso dizer que foi algo unico tbm..mesmo nao sendo tão novo na época que ouvi :***:

    Curtir

  6. ainda continuo p da vida por não conseguir no post atual, mas vou te contar! eu suspeitava da sua capacidade de IMPROVISO.
    meu avô diz que a inteligência das pessoas se mede pelo jeito com que elas lidam com as coisas em situações inesperadas e adversas, com o improviso e a criatividade para resolver problemas sem se estressar.
    e vejo muuito disso em você, césinha!
    vê como tenho motivos pra te considerar um exemplo? claro que sem diversas responsabilidades, afinal sou grandinha, né? sei diferir o bom do ruim hauhuah
    então não precisa se preocupar HIEAUHIEAUH
    mas é isso aí! continuo aprendendo muito com você e olha só, sem te chamar!

    beijo!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s